quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Lisboa é das pessoas. Mais contentores não?

Petição entregue na Assembleia da República:

"A ampliação da capacidade do terminal de contentores de Alcântara que o Governo inoportunamente se propõe levar por diante implicará a criação de uma muralha com cerca de 1,5 quilómetros com 12 a 15 metros de altura entre a Cidade de Lisboa e o Rio Tejo."

MENTIRA – Nada será criado, neste momento e nesta zona os edifícios lá existentes são maiores que as pilhas de contentores que também já existem e que apenas não são visíveis devido aos já referidos edifícios. Mais, ao contrário dos edifícios (imóveis) os contentores podem ser parqueados de forma a que o impacto visual seja o menor possível, também não é verdade que só não se empilham mais contentores por falta de equipamento para tal, empilham-se mais contentores por falta de espaço, quanto maior for o espaço para parqueamento menor será a altura da pilha de contentores – empilhar contentores custa tempo de dinheiro – se fosse viável em termos de espaço nenhum contentor seria empilhado em cima de outro !

"A zona de Alcântara estará sujeita a obras durante um período previsto de 6 anos, impossibilitando assim a população de aceder ao rio pelas “Docas”, levando ao fecho de toda a actividade lúdica desta zona, pondo em risco 700 postos de trabalho."

MENTIRA – As obras planeadas não impossibilitarão a população de aceder ao rio pelas “Docas” a doca de Santo Amaro e a doca de Alcântara não serão encerradas. Igualmente os estabelecimentos das conhecidas “Docas” não serão encerrados – claro que existirão alguns constrangimentos nos acessos mas quais são as obras que não os provocam? Afirmar que 700 postos de trabalho se encontram em risco é pura demagogia e populismo barato!

"Os terminais de contentores existentes nos portos de Portugal no final de 2006 tinham o dobro da capacidade necessária para satisfazer a procura do mercado."

MENTIRA – O terminal da Liscont encontra-se saturado em termos de parqueamento de contentores desde 2000, é por isso que desde à alguns anos que se parqueiam contentores no Terminal de Passageiros de Alcântara – zona não concessionada à Liscont mas indispensável para que esta possa responder aos seus clientes de todo o País!

"O Tribunal de Contas em relatório de Setembro de 2007 sublinhava que a Administração do Porto de Lisboa (APL) é líder no movimento de carga contentorizada em Portugal, e apresenta desafogadas capacidades instaladas e disponíveis, para fazer face a eventuais crescimentos do movimento de contentores."

MENTIRA – Onde ???

"A prorrogação da concessão do terminal de contentores de Alcântara até 2042 que o Governo pretende concretizar com o Decreto-Lei n.º 188/2008, de 23 de Setembro, e que prevê a triplicação da sua capacidade afigura-se assim completamente incompreensível, desnecessária, e inaceitável para mais sem concurso público."

MENTIRA – É perfeitamente legal, necessária e urgente – pena que não tivesse sido feita à mais tempo!

"Apesar da lei prever 30 anos para a duração máxima das concessões, com esta prorrogação a duração desta concessão será na prática, de 57 anos, o que, tal como o Tribunal de Contas sublinha, impede os benefícios da livre concorrência por encerrar o mercado por períodos de tempo excessivamente longos."

MENTIRA – É perfeitamente legal e existem várias outras concessões públicas nesta situação!

"Com esta decisão do Governo perde a Cidade de Lisboa, perdem os cofres públicos, perde o sistema portuário nacional, no fundo perdem os portugueses."

MENTIRA – Com esta decisão a cidade de Lisboa ganhará melhores acessibilidades e mais emprego, ganham os cofres públicos com a entrada de mais impostos (pois nesta terra paga-se impostos para tudo!) e ganha o sistema portuário nacional com um Porto de Lisboa que não precisa de roubar carga a outros para crescer de forma sustentada!

Assim se desmontam os argumentos de quem não tem coragem para afirmar que o que realmente deseja é o encerramento do Porto de Lisboa !

2 comentários:

barconauta disse...

Para estes senhores defensores do livre acesso dos cidadãos Lisboetas ao Tejo eu recomendava irem passear os seus caniches para a zona do cais do sodré onde existe aquela escultura gigante em forma de circulo onde os seus caniches ja uburaram tanto que ja nem relva nasce. Tambem lhe mostrava o estado da actual zona da doca do terriero do trigo que como se pode ver esta extremamente zelosa sempre que la ia passear eram aos milhares de milhoes de Lisboetas que NUNCA lá vi, a CONTACTAR com o rio como eles dizem. Também ao Miguelinho da telenovelas perguntava-lhe quando é que o Sovereign of the seas esteve em Lisboa ou qual o dia em que ele o vi no Tejo como afirmou no seu artigo publicado em tudoo que tinha tinta para correr. Por fim mandava-os passar na 25 de Abril e olharem com os olhos abertos para verem o terminbal de contentores que VAI SER CONSTRUIDO, porra esses CEGOS nao vem que aobra já lá está?? Nao será feito mais nada senão um reordenamento do espaço??
Primeiro achamque deveriam ter passado pela exposição Nova Alcântara para então andarem aí a comentar sem saber do que falam,que nesta situação trata-se mesmo disso...falar sem conhecer o assunto.
Venham mais navios que eu quero fotografá-los. Quanto maiores melhor assim tapam a vista aos Lisboetas e a mim enchem-me por completo a máquina, que é o que gosto!! =)

ncm disse...

Infelizmente o populismo e a demagogia têem cada vez mais tempo de antena...